Abacate, um fruto que traz muitos benefícios a saúde

O abacate é o fruto comestível do abacateiro (Persea americana), uma árvore nativa da américa central e do México e que hoje é extensamente cultivada em regiões tropicais e subtropicais do mundo. Esse fruto é bastante reconhecido por conta de suas propriedades nutricionais, sendo por vezes chamado de “superalimento”, o abacate traz inúmeros benefícios que excedem a esfera nutricional. Nos últimos anos, diversos estudos buscaram avaliar os compostos bioativos (substâncias do abacate com efeito sobre um organismo vivo), com enfoque para o potencial uso desses elementos na prevenção e no tratamento de diversas doenças.

Propriedades antioxidantes

Estudos que analisaram especificamente os antioxidantes do abacate evidenciaram a presença desses compostos em diferentes partes da planta, incluindo folha, polpa, casca e semente; dentre eles estão compostos fenólicos, carotenóides, tocoferóis, acetogeninas, ácidos graxos monoinsaturados e poliinsaturados.

Os antioxidantes naturais presentes no abacate são substâncias importantes para nosso organismo, dada sua capacidade de impedir que os radicais livres (moléculas instáveis) causem danos às nossas células. Essa ação protetora é crucial para evitar o aparecimento de doenças cardíacas, neurodegenerativas, câncer, envelhecimento celular, dentre diversas outras. 

Propriedades anticancerígenas

Em testes realizados in vitro (em ambientes controlados e fechados de um laboratório, dentro de tubos de ensaio), o abacate mostrou-se capaz de causar a morte de células cancerígenas de diferentes tipos, incluindo mama, cólon, fígado, pulmões, laringe, leucemia, esôfago, oral, ovário e próstata. Em investigação mais detalhada, constatou-se que os constituintes deste fruto ainda possuem potencial de interferir na proliferação, sobrevivência e migração/invasão das células cancerígenas.

Um exemplo de composto bioativo presente no abacate e que possui esse papel é a Escopoletina, que se mostrou capaz de regular a atividade do gene supressor tumoral p53, o famoso “guardião do genoma”. Esse gene é responsável por regular uma ampla gama de processos celulares, incluindo morte celular, interrupção do ciclo celular (conjunto de fases que uma célula passa com o intuito de duplicar-se) e reparo do DNA e, portanto, essencial para interromper o processo de formação do câncer. 

Propriedades antimicrobianas

Outro componente do abacate, o beta-sitosterol, demonstrou desempenhar um papel fundamental no fortalecimento do sistema imunológico e na supressão do vírus da imunodeficiência humana (HIV) e de outras infecções. Em particular, verificou-se que auxilia na proliferação de linfócitos e na atividade das células natural killer, ou seja, atua em células que realizam a defesa do nosso organismo e assim contribui no combate a infecções causadas por patógenos.

Doenças cardiovasculares 

Observou-se que a ingestão de abacate em combinação com uma dieta equilibrada resultou em um grande impacto na prevenção de doenças cardiovasculares, em particular devido aos fitoesteróis encontrados no abacate que inibem a absorção e a síntese de colesterol, o que proporcionou níveis mais baixos de colesterol total no organismo.

Em outro estudo, a inclusão de abacate em uma refeição aumentou a saciedade e causou uma redução da ingestão de alimentos em adultos com obesidade, o que indiretamente teve um efeito positivo no índice de massa corporal (IMC) e concomitantemente reduziu as chances de doenças cardiovasculares.

Efeito neuroprotetor

Quando nosso organismo é exposto a situações estressantes ocorre liberação do hormônio cortisol que inicialmente tem a função de auxiliar o organismo a controlar o estresse, porém, a exposição a altos níveis de cortisol por tempo prolongado produz efeitos nocivos às estruturas cerebrais, podendo ser um contribuinte para ocorrência de processos neurodegenerativos e para o desenvolvimento de doenças como o Alzheimer. Pesquisadores investigaram o efeito do óleo de abacate na exposição crônica ao cortisol in vitro e constataram que a exposição concomitante ao cortisol e ao óleo de abacate produziu redução da mortalidade das células nervosas desencadeada pelo cortisol e também teve impactos positivos em marcadores oxidativos, antioxidantes e de morte celular. 

Deste modo, essas investigações sugerem que óleo de abacate poderia ter propriedades neuroprotetoras relevantes, com destaque para redução das alterações nocivas desencadeadas pela exposição contínua ao cortisol, sendo, portanto, um potencial aliado na prevenção das modificações que levam ao aparecimento de doenças neurodegenerativas. O abacate é um fruto que contém um número variado de compostos bioativos que podem atuar na prevenção e no tratamento de inúmeras patologias. No entanto, investigações mais abrangentes in vitro, in vivo (testes que ocorrem dentro de um organismo vivo) e clínicas (processo de investigação científica em seres humanos) são fundamentais para expandir o entendimento dos mecanismos de ação de seus fitoquímicos e para permitir que seja possível o desenvolvimento de intervenções terapêuticas e nutricionais a base do abacate contra câncer, doenças microbianas, cardiovasculares e neurodegenerativas. 

Fontes: Bhuyan e colaboradores. Publicado na revista Multidisciplinary Digital Publishing Institute (MDPI) em 24 de setembro de 2019.
Disponível em: https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pmc/articles/PMC6826385/

MOTTA, J. R. Efeito neuroprotetor do óleo de abacate (Persea americana) em um modelo in vitro de estresse induzido por cortisol. 2020. Dissertação (Mestrado em Gerontologia) – Universidade Federal de Santa Maria, Santa Maria, 2020.

Enviado por: Joana Rosa Rodrigues – acadêmica de Medicina e aluna de iniciação científica Laboratório Biogenômica – UFSM.
Currículo Lattes: http://lattes.cnpq.br/1465826570691475

Compartilhar:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

20 + 19 =