Práticas Integrativas e Complementares ajudam na promoção da Saúde no SUS

No Brasil, a pandemia da Covid-19 teve início em 26 de fevereiro de 2020, após a confirmação do primeiro caso que positivou para a SARS-CoV-2. Desta data para cá, passaram-se quase 6 meses, e o mundo literalmente “virou de cabeça para baixo”, ocasionados perturbações psicológicas e sociais que afetam a capacidade de enfrentamento de toda a sociedade, em variados níveis de intensidade e propagação. Ou seja, junto com a pandemia, veio o isolamento social, a mudança de estilo de vida, o desemprego, a falta de dinheiro e muitos outros problemas. Além disso, o medo de contrair a doença, tem provocado sensações de insegurança em todos aspectos da vida, da perspectiva coletiva à individual, do funcionamento diário da sociedade às modificações nas relações interpessoais.

A partir destas mudanças, manter o equilíbrio corpo e mente é um desafio diário a grande maioria da população. Neste sentido, as terapias alternativas podem ser grandes aliadas no controle emocional, uma vez que, elas apresentam como objetivo valorizar, respeitar, reconhecer a subjetividade interior, as emoções e pensamentos que podem afetar a saúde do corpo. 

Mas o que são essas terapias alternativas? Segundo a Organização Mundial da Saúde as terapias alternativas são definidas como práticas integrativas e complementares (PICs), que não substituem o tratamento tradicional, mas são indicadas como suplementares, funcionam como agregadoras.

O Ministério da Saúde de acordo com as orientações da Organização Mundial da Saúde aprovou, através da Portaria GM/MS no 971, de 3 de maio de 2006, a Política Nacional de Práticas Integrativas e Complementares em Saúde, oferecidas pelo Sistema Único de Saúde de forma integral e gratuita a população, sendo 29 procedimentos de Práticas Integrativas e Complementares  abaixo elencados:

PICSDescrição
ApiterapiaUso de produtos derivados de abelha como, mel, pólen, geleia real, própolis – para promoção da saúde e fins terapêuticos
AromaterapiaUtiliza as propriedades dos óleos essenciais para recuperar o equilíbrio e a harmonia do organismo visando à promoção da saúde física e mental, ao bem-estar e à higiene
ArteterapiaUtilização da arte expressiva artística, visual, que atua como elemento terapêutico na análise do consciente e do inconsciente
AyurvedaEquilíbrio corpo e mente, através de técnicas de relaxamento, massagens, plantas medicinais, minerais, posturas corporais, técnicas respiratórias, posições e exercícios e cuidados dietéticos
BiodançaPrática expressiva corporal que promove vivências integradoras por meio da música, do canto, da dança e de atividades em grupo
BioenergéticaAdota a psicoterapia corporal e os exercícios terapêuticos em grupos, por exemplo, os movimentos sincronizados com a respiração
AcupunturaUtiliza agulhas para estimular pontos e meridianos do corpo que, uma vez equilibrados, minimizam problemas emocionais e físicos
Constelação familiarBusca reconhecer a origem dos problemas e/ou alterações trazidas pelo paciente com suas relaçães familiares
CromoterapiaUtiliza as cores do espectro solar para restaurar o equilíbrio físico e energético do corpo
Dança circularDança em grupo que com o objetivo de promover a integração humana, o auxílio mútuo e a igualdade visando o bem-estar físico, mental, emocional e social
GeoterapiaUtilização de argila, barro e lamas medicinais, pedras e cristais com objetivo de amenizar e cuidar de desequilíbrios físicos e emocionais por meio dos diferentes tipos de energia e propriedades químicas desses elementos
HipnoterapiaFavorecer o autoconhecimento através de técnicas de hipnose
HomeopatiaTratamentos com base em sintomas específicos de cada indivíduo e utiliza substâncias altamente diluídas que buscam desencadear o sistema de cura natural do corpo
Imposição de mãosTransferência de energia por meio das mãos com intuito de reestabelecer o equilíbrio do campo energético humano
Medicina antroposófica aplicada à saúdeConcilia medicamentos e terapias convencionais com outros específicos de sua abordagem, como aplicações externas, banhos terapêuticos, terapias físicas, arteterapia, aconselhamento biográfico, quirofonética
Medicina tradicional chinesaUtiliza como procedimentos diagnósticos, na anamnese integrativa, palpação do pulso, inspeção da língua e da face, entre outros; e, como procedimentos terapêuticos, acupuntura, ventosaterapia, plantas medicinais, práticas corporais e mentais, dietoterapia chinesa
MeditaçãoConsiste em treinar a focalização da atenção de modo não analítico ou discriminativo, a diminuição do pensamento repetitivo e a reorientação cognitiva, promovendo alterações favoráveis no humor e melhora no desempenho cognitivo, além de proporcionar maior integração entre mente, corpo e mundo exterior
MusicoterapiaUtiliza a música e/ou seus elementos como forma terapêutica
NaturopatiaUtiliza um conjunto de métodos e recursos naturais no cuidado e na atenção à saúde
OsteopatiaUtiliza várias técnicas manuais para auxiliar no tratamento de doenças, por exemplo, manipulação do sistema musculoesquelético – ossos, músculos e articulações
OzonioterapiaUtiliza a aplicação de uma mistura dos gases oxigênio e ozônio, por diversas vias de administração, com finalidade terapêutica, e promove melhoria de diversas doenças
FitoterapiaUso de plantas medicinais em suas diferentes formas farmacêuticas
QuiropraxiaConduz ajustes na coluna vertebral e outras partes do corpo, visando a correção de problemas posturais, o alívio da dor e favorecendo a capacidade natural do organismo de auto cura
ReflexoterapiaUtiliza estímulos em áreas reflexas – os microssistemas e pontos reflexos do corpo existentes nos pés, mãos e orelhas – para auxiliar na eliminação de toxinas, na sedação da dor e no relaxamento
ReikiUtiliza a imposição das mãos para canalização da energia vital visando promover o equilíbrio energético, necessário ao bem-estar físico e mental
Shantalaconsiste na manipulação (massagem) para bebês e crianças pelos pais, composta por uma série de movimentos que favorecem o vínculo entre estes e proporcionam uma série de benefícios decorrentes do alongamento dos membros e da ativação da circulação
Terapia comunitária integrativaPrática terapêutica coletiva que atua em espaço aberto e envolve os membros da comunidade numa atividade de construção de redes sociais solidárias para promoção da vida e mobilização dos recursos e competências dos indivíduos, famílias e comunidades
Terapia de floraisUtiliza essências derivadas de flores para atuar nos estados mentais e emocionais
Termalismo social/CrenoterapiaConsiste no uso da água com propriedades físicas, térmicas, radioativas e outras – e eventualmente submetida a ações hidromecânicas – como agente em tratamentos de saúde
IogaPrática corporal e mental de origem oriental utilizada como técnica para controlar corpo e mente, associada à meditação

Como vimos, são inúmeras as alternativas terapêuticas para auxiliar e manter a nossa saúde corporal e mental em equilíbrio em tempos de mudanças, desafios e transformações sociais e pessoais. E estas estratégias alternativas já estão presentes em quase 54% dos municípios brasileiros, distribuídos pelos 27 estados e Distrito Federal e em todas as capitais brasileiras. Desde a implementação, 2 milhões de atendimentos em terapias alternativas foram feitos em Unidades Básicas de Saúde, destes mais de 1 milhão dos atendimentos se referiram a técnicas da Medicina tradicional Chinesa, incluindo acupuntura.

Ainda, no contexto da COVID-19, em maio de 2020 o Conselho Nacional de Saúde (CNS) aprovou uma recomendação para o Ministério da Saúde, conselhos estaduais e municipais de Saúde e do Distrito Federal pela inclusão e divulgação de Práticas Integrativas e Complementares em Saúde na assistência ao tratamento para combater a COVID-19.

O documento considera as evidências cientificas produzidas pela Rede de Medicinas Tradicionais, Complementares e Integrativas (MTCI) Américas, pelo Consórcio Acadêmico Brasileiro de Saúde Integrativa (Cabsin) e pelo Centro Latino-Americano e do Caribe de Informação em Ciências da Saúde (Bireme/Opas/OMS) sobre o uso das práticas neste momento de pandemia.

E de acordo com Simone Leite conselheira nacional de saúde e coordenadora da Comissão Intersetorial de Promoção, Proteção, Práticas Integrativas e Complementares em Saúde (CIPPSPICS) do Conselho Nacional de Saúde: “Neste momento, em que não há ainda medicação para a cura, vários profissionais estão utilizando as práticas integrativas como forma de complementar a assistência. Estamos conversando com diversas pessoas e sabemos de alguns registros com a melhora em alguns tratamentos, que estão sendo realizados em nível nacional”. É importante salientar que, como o próprio nome diz, são TERAPIAS ALTERNATIVAS, e como a próprio a Organização Mundial da Saúde define, essas terapias, NÃO SUBSTITUEM O TRATAMENTO TRADICIONAL, são indicadas apenas como complemento de outros tratamentos. Quando e por quem serão utilizadas, são decisões a serem tomadas pela Equipe de Saúde.

Fonte: Ministério da Saúde: Práticas Integrativas e complementares (PICS): quais são e para que servem.
Disponível em: https://saude.gov.br/saude-de-a-z/praticas-integrativas-e-complementares.

Faro et al., 2020. COVID-19 e saúde mental: a emergência do cuidado. Estud. psicol. Campinas, 37,
Disponível em: https://doi.org/10.1590/1982-0275202037e200074

Enviado por: Isabel Roggia, graduada em Farmácia pela Universidade Franciscana (UFN) e Pós-doutoranda em Gerontologia pela Universidade Federal de Santa Maria (UFSM).
Currículo lattes: http://lattes.cnpq.br/4020469474371818

Compartilhar:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

6 − três =