Os benefícios do exercício físico e do repouso na consolidação da memória de longo prazo

A cada dia, ocorrem maiores avanços na área da medicina a fim de acompanhar o aumento na expectativa de vida da população, já que esta traz consigo um grande desafio: quanto maior a idade, maior o risco de doenças neurodegenerativas, como a Doença de Alzheimer. Nesse sentido, há uma busca ativa e constante de fatores protetores para preservação da cognição e da memória, entre eles o exercício físico e o repouso. Mas antes de entrarmos nesse assunto, vamos abordar o processo de consolidação de memória e suas variações:

A memória corresponde à função do sistema nervoso que permite a retenção das informações/percepções para serem utilizadas posteriormente, e a memorização é o resultado da consolidação de um conhecimento ou comportamento, que pode ser resgatado quando necessário. Esse processo ocorre em três etapas (percepção, retenção e evocação), nas quais a informação é captada e assimilada pelos órgãos sensoriais, armazenada nos neurônios e, por fim, utilizada no processo de lembrar. Contudo, nem toda informação precisa ser armazenada por longo período de tempo e, por isso, a memória é dividia em memória de curto e longo prazo. Um exemplo de memória de curto prazo é a memoria operacional, em que o tempo de armazenamento é apenas o suficiente para que a informação seja utilizada para conclusão de uma tarefa, como fazer um cálculo matemático mentalmente. Quando a informação precisa ser armazenada para além do cumprimento de uma tarefa, ela passa a ser uma memória de longo prazo. Além disso, a memória também pode ser dividida em implícita e explícita, sendo a primeira relacionada a habilidades e comportamentos habituais (ex: escovar os dentes, andar de bicicleta), e a segunda, à recordação de eventos e lembranças (ex: lembrar-se de um fato ao ver uma foto).

Voltando à relação dos exercícios com a consolidação da memória, estudos anteriores já demonstraram que, conforme a intensidade e o tempo de duração da atividade física, o benefício cognitivo pode diferir. Além disso, nem sempre é necessário fazer exercício aeróbico para melhorar a cognição, pois estudos anteriores também revelaram benefícios do repouso vigilante (períodos curtos de descanso sem dormir) na consolidação da memória. A questão é: o que é melhor? Esse foi o objetivo de um estudo realizado por pesquisadores da Inglaterra que será apresentado a seguir.

O repouso vigilante pode ser ativo ou passivo: o passivo é um período de descanso que não inclui nenhuma atividade sensorial ou motora evidente, já o descanso ativo é um período de repouso que estimulação cognitiva, como ouvir música, ver um filme ou mexer nas redes sociais. O exercício, por sua vez, pode ser de baixa, moderada e alta intensidade, sendo um exemplo deste último o HIIT (Treino Intervalado de Alta Intensidade), que são rajadas anaeróbicas intensas, curtas e repetidas, separadas por um período de descanso de um tempo semelhante.

O estudo, realizado com 59 mulheres de média idade e previamente saudáveis, foi dividido em 3 experimentos que compararam o exercício de intensidade moderada, HIIT e os dois tipos de repouso vigilante na consolidação de memória de longo prazo, a qual foi testada a partir de 480 pares imagem-palavra apresentados antes do exercício e/ou do repouso e evocados 1 hora após. Os resultados revelaram que o exercício contínuo de intensidade moderada obteve o maior efeito benéfico na consolidação da memória, seguido do HIIT, do repouso passivo e, por fim, do repouso ativo.

Sugere-se, então, que curtos períodos de descanso sem engajamento cognitivo (repouso passivo) após o aprendizado podem aumentar a probabilidade de se lembrar posteriormente, e a interrupção desse processo pode fazer com que novos traços de memória sejam ignorados em favor de outra tarefa, demonstrando que o repouso ativo tende a inibir a consolidação dos estímulos aprendidos recentemente. Além disso, uma das explicações fisiológicas para o benefício da atividade física na memória de longo prazo seria de que o exercício físico inicia a liberação do Fator Neurotrófico Derivado do Cérebro (BDNF), o qual exerce papel essencial na neurogênese, na proteção dos neurônios e aumento no número das sinapses. Uma concentração mais alta de BDNF está positivamente associada ao aumento do volume do hipocampo, que por sua vez, está associado à melhora da memória espacial.

Contudo, o exercício de média intensidade mostrou-se mais efetivo que o HIIT, e uma possível explicação para este achado seria de que os níveis elevados de cortisol liberados em resposta a situações estressantes, neste caso o exercício de alta intensidade, estão associados a uma redução de BDNF e consequente declínio de curto prazo nas habilidades cognitivas. Por outro lado, vale ressaltar que esses resultados são válidos para um período de até 24 horas após a atividade física, sendo que, além desse período, os benefícios do HIIT na cognição tendem a superar os do exercício contínuo. Ademais, outros estudos também demonstram que o HIIT pode fornecer melhorias cardiovasculares semelhantes ao treinamento de exercício contínuo, mas com muito menos tempo necessário, dando esperança para aqueles com agendas lotadas e pouco tempo para regimes de exercícios típicos.

Não é necessário se esforçar demais ou por muitas horas para alcançar melhorias cognitivas observáveis, tornando-se cada vez mais essencial a produção de diretrizes claras para o aprimoramento da memória com implicações importantes no tratamento de pacientes com demência, além impulsionar alunos com métodos corretos de estudo e qualquer indivíduo na execução de tarefas diárias.

Fontes: Wesley Pike e colaboradores. Publicado em janeiro de 2020, na revista Neurobiology of Learning and Memory. 
Disponível em: https://www.sciencedirect.com/science/article/pii/S1074742719301959

Livro Memória, de Ivan Izquierdo, 2ª edição, editora Artmed, 2011.

Enviado por: Luiza Elizabete Braun – Acadêmica do curso de Medicina da UFSM e aluna de Iniciação Científica do Laboratório de Biogenômica.
Currículo Lattes: http://lattes.cnpq.br/8218583647133629

Compartilhar:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

três × três =