Agência Americana pede que pessoas que já se recuperaram da Covid-19 doem plasma convalescente

Desde março de 2020, data em que a Organização Mundial de Saúde (OMS) declarou a pandemia em virtude da infecção pelo SARS-CoV-2, causador da COVID-19, esforços do mundo inteiro têm se voltado para o desenvolvimento de estratégias que visam à prevenção de estágios graves da doença. Além do foco na profilaxia por meio das vacinas, muitas investigações estão sendo feitas para verificar o benefício da infusão de anticorpos específicos que estão presentes no plasma de pacientes convalescentes. Convalescente, significa uma pessoa que esteja se recuperando de uma doença. O plasma, é a parte amarela e líquida do sangue que contém anticorpos, que são as proteínas produzidas pelo corpo em resposta a infecções. Nesse sentido, o plasma convalescente de pacientes que já se recuperaram da doença pode conter anticorpos contra o SARS-CoV-2, vírus que causa a COVID-19. Transferir este plasma convalescente a pessoas hospitalizadas que atualmente lutam contra a doença pode ajudá-las na recuperação. Recentemente, o Food and Drug Administration (FDA), a ANVISA dos Estados Unidos, concluiu que essa ação pode ser eficaz no tratamento de COVID-19 e que os benefícios conhecidos e potenciais superam os riscos em pacientes hospitalizados. Sendo assim, o FDA concedeu autorização de uso de emergência do plasma convalescente em pacientes COVID-19. Para embasar a utilização dessa nova forma de tratamento, um estudo argentino foi realizado entre maio e outubro do ano passado (2020), no qual foi avaliado se o plasma convalescente com grande quantidade de anticorpos contra o SARS-CoV-2, administrado dentro de 72 horas após o início dos sintomas leves, seria eficaz na prevenção da progressão da doença grave em pacientes idosos com COVID-19. Um total de 160 pacientes foram submetidos à randomização, ou seja, processo em que os participantes são colocados aleatoriamente ou no grupo de tratamento (80 pessoas que receberão o plasma) ou para o grupo placebo (80 pessoas que receberão solução salina). A doença respiratória grave se desenvolveu em 13 de 80 pacientes (16%) que receberam o plasma convalescente e em 25 de 80 pacientes (31%) que receberam placebo. Sendo assim, a administração de plasma convalescente com grandes quantidades de anticorpos contra SARS-CoV-2 a pacientes infectados dentro de 72 horas após o início dos sintomas reduziu o risco de progressão para doença respiratória grave em 48%. Outro estudo envolvendo pacientes em Houston mostrou que a mortalidade diminuiu apenas entre os pacientes que receberam plasma convalescente dentro de 72 horas após a admissão. Ainda, um estudo multicêntrico dos Estados Unidos revelou que a mortalidade em 7 dias foi menor entre os pacientes hospitalizados que receberam transfusões dentro de 72h após o diagnóstico do que entre aqueles que receberam posteriormente. Nesse sentido, conforme concluiu o ensaio clínico argentino, a administração do plasma convalescente de alto título contra o novo coronavírus em adultos mais velhos infectados dentro de 72 horas após o início dos sintomas leves reduz a progressão para doença grave. Por se tratar de uma intervenção simples e barata (em relação aos anticorpos monoclonais, os quais são criados com tecnologias mais avançadas e pouco acessíveis a países menos desenvolvidos), os autores afirmam que essa é uma excelente alternativa para reduzir as demandas do sistema de saúde e para salvar vidas. O FDA, nesse contexto, já começou a campanha de incentivo aos americanos recuperados da Covid-19: estão convidados à doação do plasma convalescente aqueles que sigam a determinados critérios, como ausência de sintomas por pelo menos 14 dias, diagnóstico prévio da doença documentado por teste de laboratório e cumprimento das regras gerais para doação de sangue. Espera-se que as infusões de plasma possam fornecer uma ponte para a recuperação de pacientes em risco até que as vacinas se tornem amplamente disponíveis.

Fonte: Libster e colaboradores, 2021. Early High-Titer Plasma Therapy to Prevent Severe Covid-19 in Older Adults. The New England Journal of Medicine.
Disponível em: https://www.nejm.org/doi/pdf/10.1056/NEJMoa2033700?articleTools=true.

Food and Drug Administration, 2021. Donate COVID-19 plasma.
Disponível em: https://www.fda.gov/emergency-preparedness-and-response/coronavirus-disease-2019-covid-19/donate-covid-19-plasma.

Enviado por: Tanize Louize Milbradt, acadêmica do Curso de Medicina e aluna de iniciação científica Laboratório Biogenômica – UFSM.
Currículo Lattes: http://lattes.cnpq.br/9501880936037755

Compartilhar:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

3 + 7 =