Canabidiol combate à queda de cabelo de origem genética

A queda excessiva de cabelo, também chamada de alopecia, é uma alteração provocada por fatores genéticos ou ambientais, que acomete o folículo piloso, modificando a fase de crescimento e o diâmetro dos fios, tendo como consequência a redução generalizada da densidade do cabelo. Dentre as alopecias mais comuns entre a população está a alopecia androgenética, condição geneticamente determinada, desencadeada pela ação de uma enzima redutora, denominada 5-alfaredutase, sobre os hormônios andrógenos, como, por exemplo, a testosterona, os transformando em di-hidrotestosterona (DHT). Esta transformação da testosterona em DHT foi associada ao surgimento da queda de cabelo, uma vez que o hormônio DHT é responsável por interferir e retardar o ciclo de crescimento capilar.

Na busca por novas alternativas de tratamento e prevenção para a queda de cabelo, pesquisadores coreanos investigaram o potencial efeito regulatório do canabidiol (CBD) no tratamento da alopecia. O canabidiol é uma molécula, derivado da Cannabis sativa (maconha), que está atualmente sob intensa investigação para vários usos na medicina clínica, já sendo empregado, em países onde a sua utilização está legalizada, no tratamento da epilepsia, dos sintomas psiquiátricos e da esclerose múltipla.

Além dos benefícios medicinais do canabidiol, estudos emergentes apontam também que este canabinoide apresenta propriedades anti-inflamatórias e antioxidantes, podendo atuar no tratamento e prevenção de diversas disfunções estéticas, como no envelhecimento da pele, na acne, na rosácea e em alguns casos de queda capilar. Entretanto, mais estudos se fazem necessários para testar a segurança e a real eficácia desta substância como ativo em formulações cosméticas.  

Neste contexto, Park e colaboradores investigaram o possível mecanismo regulatório do canabidiol, , em um modelo de alopecia em culturas celulares e tecidos capilares coletados de voluntários.

Após a análise dos resultados obtidos, os pesquisadores concluíram que a redução da expressão das beta-cateninas , que são proteínas importantes durante fase de crescimento ativo dos fios de fato influencia a perda de cabelo em pacientes com alopecia e que o canabidiol pode ser um importante aliado na restauração da atividade desempenhada pelas beta-cateninas, mantendo, desta forma, os níveis de fatores de crescimento essenciais para o crescimento capilar. Assim, o canabidiol pode ter uma função moduladora na alopecia causada por hormônios ou excesso da via de sinalização, e ser uma aplicação promissora para o tratamento da alopecia.

Entretanto, tendo em vista que a utilização desta substância, mesmo que para fins terapêuticos, ainda não é permitida no Brasil, uma alternativa segura ao uso do canabidiol seria a utilização de um ativo que possui atividade canabidiol-like, chamado Beracare CBA. O Beracare CBA é composto por um blend de óleos amazônicos, que possui usos e aplicações versáteis, já comprovadas pelo fabricante, em diferentes produtos cosméticos, como tônicos e géis, loções, cremes, sabonetes e produtos para o couro cabeludo, possuindo atividade similar àquelas exercidas pelo canabidiol no âmbito estético.

Fontes: Park e colaboradores. Publicado em Journal of Pharmacopuncture em 2021.
Disponível em: https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pmc/articles/PMC8220510/

Enviado por: Nathália Cardoso de Afonso Bonotto – Mestranda em Gerontologia – Universidade Federal de Santa Maria
Currículo Lattes: http://lattes.cnpq.br/4055216682279933

Compartilhar:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

vinte + dezessete =