Infecções por microrganismos e câncer: existe relação?

Que o câncer é um problema de saúde que atinge todo o mundo e está associado a hábitos de vida pouco saudáveis e -em menor escala- à genética todo mundo já sabe. No entanto, a infecção por microrganismos também pode desencadear essa doença.

Esses microrganismos podem causar câncer por meio de três principais mecanismos: o primeiro é a infecção persistente, que causa inflamação e dano ao DNA; a segunda é o início da expressão de oncogene, que ocorre quando nosso corpo “liga” uma informação do câncer que está no DNA e “desliga” outras que deveriam estar ligadas; e a terceira forma é a atividade de imunossupressão do hospedeiro, na qual os agentes infecciosos dão um “drible” no sistema imunológico e não são combatidos por ele.

Mas…. o que é exatamente um câncer?

Basicamente, o câncer é uma doença em que as células se dividem de forma descontrolada e têm a capacidade de invadir os tecidos próximos ou distantes. Patologicamente falando, o câncer é o processo de transformação de uma célula normal em uma célula que sofreu que tem alguma alteração. Durante esse processo, a célula sofre transformações que impedem que ela morra. Como a célula doente continua ativa e se multiplicando, ela passa adiante sua forma “doentia”, resultando no câncer.

Câncer gástrico: normalmente associado ao estilo de vida, como hábitos alimentares e tabagismo, à história familiar e às condições financeiras, mas também pode ter relação com a infecção por H. pylori e EBV.

  • H. pylori é uma bactéria com capacidade de detectar mudanças de pH no estômago e, para fugir disso, ela se “enterra” na camada de pele do estômago para escapar do ambiente ácido e produz amônia, que é uma substância que pode neutralizar (e diminuir) o pH ácido. O problema é que a amônia é toxica para a célula da parede do estômago e causa inflamação e interfere em diversos processos importantes para a sobrevivência celular.
  • Epstein-Barr (EBV) é um vírus que causa a mononucleose infecciosa (também chamada de doença do beijo) e pode ser associado ao câncer de estômago. Após a infecção, o vírus pode permanecer dormente nas células da uma pessoa saudável, até que seja reativado. 

Câncer de fígado: é uma doença que afeta principalmente indivíduos com histórico de doenças hepáticas crônicas, e também pode ser associado ao consumo de álcool, tabagismo e outras condições metabólicas, como obesidade e diabetes tipo 2. Em relação aos microrganismos, o câncer de fígado pode ser desencadeado pelo vírus da hepatite e pelo consumo de alimentos contaminados com as toxinas do fungo Aspergillus.

  • Vírus das Hepatites B (HBV) e C (HCV): A infecção crônica por HBV pode desencadear câncer de fígado pois pode causar alterações no DNA das células, causando mutações que ativam genes associados ao tumor. De outra forma, o HCV não se integra ao DNA do hospedeiro (humano), mas a infecção pode causar alterações no funcionamento das células do fígado, bloqueando genes que protegem o DNA da célula contra tumores, como P53, por exemplo. Além disso, o HCV pode causar a liberação de citocinas, que são substâncias pró-inflamatórias, que, em conjunto, produzem um ambiente propício ao desenvolvimento de câncer.
  • Aspergillus spp.: Duas espécies do fungo Aspergillus podem produzir o composto tóxico aflatoxina, que pode ser encontrado em alimentos armazenados de forma inadequada, como arroz, trigo, milheto, milho e amendoim. Essa toxina é atraída pelo fígado e por isso a exposição crônica a ela aumenta o risco de câncer.

Câncer do Ducto Biliar: é um câncer que tem como fatores de risco principais a idade avançada, tabagismo e doença hepática crônica. Além desses, a contaminação por alguns vermes do fígado podem desencadear o câncer. A contaminação por esses vermes ocorre pela ingestão de peixe cru e contaminado e, por isso, é importante uma boa higiene alimentar antes do consumo desse tipo de alimentos.

Câncer Colorretal (CCR): Foi relatado que várias bactérias são encontradas com maior abundância em pacientes com essa doença. Entre elas, a bactéria F. nucleatum normalmente presente na boca, mas que também pode ser encontrada no intestino pode interferir e prejudicar as respostas imunes dos indivíduos, deixando-os vulneráveis ao aparecimento de câncer.

Câncer Cervical: é um câncer comum em mulheres entre 35 e 44 anos, que é geralmente causado por agentes infecciosos, principalmente o papilomavírus humano (HPV). Além desse, as coinfecções por Chlamydia trachomatis podem iniciar uma infecção crônica nas células endocervicais, deixando as células mais propensas a serem infectadas pelo HPV. 

Resumindo o assunto, fica claro que alguns cânceres podem ser causados ​​por agentes infecciosos por meio de várias vias de carcinogênese distintas. Sabendo disso, é importante essas condições podem ser evitadas com vacinações ou outras medidas de saúde pública.

As vacinas da hepatite, contra infecções por HBV e HCV, contribuíram para redução da doença e, consequentemente, de câncer de fígado, da mesma forma que se espera que a alta cobertura vacinal contra o HPV permitirá a eliminação do câncer cervical (de colo de útero), visto que ele é principalmente uma sequela da infecção viral. Além disso, o estabelecimento de bons sistemas de regulação de alimentos básicos da dieta e a melhoria das condições de armazenamento das safras reduzirão, por exemplo, os índices de câncer gástrico por contaminação por Aspergillus e a preparação adequada dos alimentos pode prevenir infecções e diminuir os números de câncer de bexiga e do ducto biliar.

Por fim, é importante que os mecanismos pelos quais esses microrganismos causam câncer sejam melhor compreendidos, para que abordagens terapêuticas mais efetivas sejam desenvolvidas a fim de melhorar o prognostico e a qualidade de vida dos pacientes.

Fonte: HATTA, M. N. A. et al. Pathogens and Carcinogenesis: A Review. Biology. Publicado em 15 Jun. 2021. DOI:10.3390/biology10060533.
Disponível em: https://pubmed.ncbi.nlm.nih.gov/34203649/

Enviado por: Júlia Diettrich Traesel – Aluna de Medicina da Universidade Federal de Santa Maria e de Iniciação Científica do Laboratório de Biogenômica-UFSM.
Currículo Lattes:  http://lattes.cnpq.br/1094747370794264

Compartilhar:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

9 − 9 =